Iniciativas verdes

Conheça e se inspire com iniciativas verdes em grandes cidades no Brasil

Conteúdo Publicitário Selo Publieditorial
Shutterstock

As hortas começaram a pipocar em praças, quintais e varandas. Os jardins verticais oferecem lugar para plantas ornamentais nas empenas de prédios. As iniciativas verdes — comunitárias ou desdobramentos de um negócio social — têm se tornado cada vez mais presentes nos grandes centros urbanos do Brasil.

Essas propostas ajudam a ampliar a consciência alimentar, combater a poluição do ar, enchentes, períodos de seca, aumento das temperaturas e muito mais. Para que você tenha a chance de conhecer um pouco mais sobre algumas dessas ações, listamos nove iniciativas que podem te inspirar a trazer o verde para perto da sua família e da sua cidade.

Conheça:

  • Cidade Sem Fome

    Premiada internacionalmente por encarar a criação de hortas como uma oportunidade para criação de empregos e geração de renda em locais carentes, a ONG Cidade Sem Fome capacita idosos e pessoas à margem do mercado de trabalho para transformarem o plantio urbano em ganha pão. Criada pelo alemão Hans Dieter Temp, atua em áreas como Cidade Tiradentes, Itaquera e São Miguel Paulista, na Zona Leste de São Paulo, e com agricultores familiares no Sul do País.

  • Pé de Feijão

    Focada em estimular a mudança de hábitos alimentares da população, a Pé de Feijão é um negócio social que enxerga as hortas que implantou na Fábrica de Criatividade do Capão Redondo e no teto da empresa Serasa Experian como palcos para oferecer oficinas em torno do tema. "Aqui no Brasil salada é alface, tomate e, mais raramente, rúcula ou cenoura. Mais de 50% da população está acima do peso, e só 25% comem a quantidade recomendada de frutas, verduras e legumes. Queremos que as pessoas entrem em contato com alimentos in natura de novo, que voltem a comer vegetais que já não comiam mais", explica Luisa Haddad. Em parceria com a rede SESC, a Pé de Feijão também atua na capacitação de professores da rede pública de São Paulo.

  • Novas Árvores por Aí

    Projeto dedicado em promover o plantio de árvores nos centros urbanos e no campo, o Novas Árvores Por Aí desenvolve o que se chama de "Floresta de Bolso" - reflorestam locais degradados, canteiros, praças e parques com centenas de mudas nativas da região escolhida. A próxima Floresta de Bolso de Mata Atlântica vai restaurar parte da mata ciliar do Rio Pinheiros, e o grupo também ministra cursos sobre arborização urbana e calçadas verdes.

  • Urban Farmers Brasil

    A metodologia desenvolvida na Suíça usa a aquaponia para criar mini-fazendas urbanas capazes de produzir alimentos frescos em espaços restritos como o topo de prédios. A criação de peixes e a de plantas convivem em harmonia em um ciclo que cabe em um contêiner: os excrementos dos peixes viram adubos para as hortaliças, que em troca devolvem a água filtrada para os peixes. A expectativa é de que o método da UrbanFarmers economize 95% de água em relação à agricultura normal.

  • Morada da Floresta

    Nós já falamos aqui no Plantaria sobre a compostagem domiciliar, e a Morada da Floresta é uma das empreitadas que servem de referência para o tema no Brasil. Focada em soluções ecológicas para diminuir os impactos causados no meio ambiente, a iniciativa promove cursos e também comercializa produtos como composteiras domésticas, fraldas ecológicas, carregadores de bebês, absorventes femininos ecológicos e sistemas de compostagem empresariais.

  • Alimentos Feios têm Vez

    Os projetos Fruta Imperfeita e EcoJuicy partem de um ponto comum: o melhor aproveitamento das frutas e vegetais que não são considerados bons o bastante para as prateleiras dos supermercados. O primeiro é um serviço de assinatura de cestas de frutas e legumes que chegam em casa, enquanto o segundo transforma esses alimentos marginalizados em sucos e sopas.

  • Geladeira Solidária

    Presente em cidades como Goiânia, Porto Alegre e Sorocaba, a ideia consiste em colocar o eletrodoméstico na rua para ofertar alimentos a pessoas em situações de rua - geralmente colaborativas, as geladeiras são mantidas por empresários e pessoas físicas que preferem compartilhar do que deixar uma comida apodrecendo em casa ou no restaurante.

  • Paredes Verdes

    Em São Paulo, os prédios vizinhos ao Elevado Presidente João Goulart (também conhecido como Minhocão) se tornaram local para o plantio vertical de jardins de plantas ornamentais e também de telhados verdes. As ações são derivadas de propostas de compensação ambiental previstas por um decreto municipal.

  • Hortas Comunitárias

    Existem diversas hortas comunitárias espalhadas em espaços públicos de cidades de Santa Catarina e São Paulo. Na capital paulista alguns dos endereços mais conhecidos são a horta coletiva orgânica do Centro Cultural São Paulo, a horta das Corujas, a horta da Praça do Ciclista, a horta da Faculdade de Medicina da USP e a horta comunitária da Saúde. Mantidas por voluntários apaixonados pelo tema, elas mantém contatos com as subprefeituras de cada região e são abertas ao público. Procure a mais próxima de você e a visite! Se a sua ideia for estimular a criação de uma horta no seu bairro e está em busca de um espaço, temos uma dica. Em São Paulo, áreas sob linhas de transmissão de energia têm sido transformadas em horta graças a acordos de comodato com a AES Eletropaulo - o hortão da Casa Verde é um bom exemplo.

Shutterstock Shutterstock

Curtiu? Compartilhe.

Topo