Profecia cumprida. E daí?

Rendimento do Corinthians caiu 36% desde que Renato Gaúcho previu queda. Os rivais, porém, não corresponderam

Bruno Doro Do UOL, em São Paulo
Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo

Aproveitamento do Corinthians caiu. Mas rivais não aproveitaram

Após a 13ª rodada, ainda em julho, o técnico Renato Gaúcho, do Grêmio, avisou: “O Corinthians vai despencar”. A afirmação foi profética e, desde aquela declaração, foram sete partidas e nove pontos perdidos. O aproveitamento que era de quase 90% caiu para 57% nas últimas rodadas - uma queda relativa de 36%. Foi embora, inclusive, a invencibilidade do alvinegro no Campeonato Brasileiro.

Seria a chance que os rivais estavam esperando para tornar a competição pelo título nacional um pouco mais interessante. O problema: todos esses rivais parecem já ter aberto mão de lutar pelo título. O Grêmio, vice-líder, inclusive.

Neste domingo, mais interessados com a semifinal da Copa do Brasil, os gaúchos entraram com time reserva contra o Atlético-PR. Em casa, só empataram. Nas últimas oito rodadas (o Corinthians está um jogo atrás), o Grêmio tem o melhor aproveitamento do Brasileiro, mas com apenas 62%. Melhor do que o Corinthians, mas nem tanto.

É o mesmo cenário de Santos e Palmeiras, terceiro e quarto colocados, que também não venceram na rodada. Ambos já colocaram outras competições à frente do Brasileirão e perderam terreno. Os dois, desde a 14ª rodada, têm aproveitamento de 58% - próximo do líder.

O resultado disso tudo? Mesmo com tropeços e um jogo a menos, o Corinthians segue líder com sete pontos de vantagem sobre o segundo colocado. E ainda pode aumentar esse número para dez pontos se vencer, na próxima quarta-feira, a Chapecoense. Com um detalhe: se bater os catarinenses, igualará o desempenho do Grêmio de 62% desde a profecia de Renato.

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Calma de um lado...

Quando olhar para esse jogo é entender que precisa ter mais paciência

Fábio Carille

Fábio Carille, técnico do Corinthians, sobre a derrota para o Vitória

...impaciência de outro

Não adianta nada o Corinthians tropeçar e nós tropeçarmos também

Everton

Everton, atacante do Grêmio, sobre o empate com o Atlético-PR

O jogo foi tecnicamente muito ruim

Renato Gaúcho

Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, sobre o empate com o Atlético-PR

Veja todos os gols da 21ª rodada

Opinião dos blogueiros

Cumprindo o que prometera, nem mesmo com a derrota do Corinthians Renato Portaluppi abandonou a ideia de escalar a boa garotada gremista. O 0 a 0 em Porto Alegre minimizou a derrota alvinegra para o Vitória. Caso o Corinthians vença a Chapecoense, em Chapecó, na quarta-feira, quando o líder passará a ter o mesmo número de jogos que o vice-líder, a diferença será de dez pontos, dois a mais do que era ao fim do primeiro turno.
ler mais

Juca Kfouri

Juca Kfouri

A derrota do Corinthians para o Vitória marcou o oitavo jogo, dos vinte do campeonato, em que o time de Fábio Carille teve mais posse de bola do que o adversário. Das oito partidas, só três terminaram com triunfo corintiano. Venceu o Botafogo por 1 x 0, o Cruzeiro por 1 x 0 e o São Paulo por 3 x 2. Em todas as demais vitórias, o adversário teve a bola e o Corinthians, os gols.
ler mais

PVC

PVC

A derrota em Itaquera para o Vitória, por 1 a 0, neste sábado, reforça o que já tinha sido sinalizado no primeiro turno. O Corinthians tem mais dificuldades como mandante do que como visitante. Dos 13 pontos perdidos pelos alvinegros até aqui, nove foram deixados em sua própria casa. Os outros foram nos empates contra Chapecoense, Flamengo e Atlético-PR.
ler mais

Perrone

Perrone

Aconteceu. Depois de 34 partidas e 20 rodadas no Brasileiro, o Corinthians perdeu. E foi justo. Quem pode reclamar é o Vitória que teve um gol anulado, do zagueiro Kanu, no início do segundo tempo. Um impedimento que não houve. E não houve por muito: 1,4 metro, segundo a Rede Globo.
ler mais

Menon

Menon

Fernando Soutello/AGIF Fernando Soutello/AGIF

Frases da rodada

Penso que tem um grande potencial e vai seguir crescendo, o que é muito positivo para o time. Fez dois gols, ganhou confiança. Eu creio que há um futuro grande para ele, para o Flamengo e para o futebol brasileiro

Reinaldo Rueda

Reinaldo Rueda, técnico do Flamengo, elogiando Vinicius Júnior, que marcou dois na vitória sobre o Atlético-GO

André Yanckous/AGIF André Yanckous/AGIF

Nós estamos descansadinhos já. Descansamos ali atrás

Mano Menezes

Mano Menezes, técnico do Cruzeiro, único dos semifinalistas da Copa do Brasil que jogou com força total nesta rodada

Alexandre Schneider/Getty Images

A retranca venceu?

Quatro primeiros fecham rodada sem gols marcados

A rodada do Campeonato Brasileiro foi desastrosa para quem está na frente da tabela de classificação. Corinthians, Grêmio, Santos e Palmeiras, os quatro melhores times da competição até agora, não marcaram gols.

O Corinthians sofreu para atacar e perdeu para o Vitória por 1 a 0. O Grêmio, com reservas, fez um jogo apático no 0 a 0 contra o Atlético-PR. No Paraná, o Santos também fez um jogo morno no 0 a 0 com o Coritiba. Pior fez o Palmeiras, que perdeu por 2 a 0 para a Chapecoense em seu estádio.

Essa dinâmica de tropeços contra times em pior situação na tabela, aliás, foi uma constante no fim de semana. Nos nove jogos (Fluminense x Atlético-MG fecham a rodada na segunda), em apenas dois os times que entraram em campo em uma posição melhor venceram.

No sábado, o Flamengo bateu o lanterna Atlético-GO por 2 a 0. No domingo, foi a vez de o Cruzeiro fazer 2 a 0 no Sport – e, com isso, ultrapassar o adversário na classificação (mineiros assumiram o sexto lugar, com os pernambucanos caindo para a oitava posição).

A qualidade foi do adversário, que achou a bola e conseguiu contra-ataque. Agora é levantar a cabeça

Fábio Carille

Fábio Carille, técnico do Corinthians, após perder para o Vitória

O Atlético-PR vinha de quatro vitórias e praticamente não criou. E nosso time estava muito modificado

Renato Gaúcho

Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, elogiando o time no 0 a 0

Lógico que a gente se sente envergonhado. O sentimento do torcedor é o mesmo que o do nosso time

Edu Dracena

Edu Dracena, zagueiro do Palmeiras, sobre a derrota para a Chape

A gente não faz gols há três jogos. É muito pouco para a qualidade do nosso ataque. Precisa melhorar

Levir Culpi

Levir Culpi, técnico do Santos, após o empate com o Coritiba

Eduardo Valente/Framephoto/Estadão Conteúdo

O que acontece com o São Paulo?

Jogar esse futebol medíocre, que não tem consistência na defesa, no meio-campo e no ataque, e achar que foi um bom resultado, que jogou bem, é mentir para o torcedor. Tem que jogar muito para ficar em décimo lugar. Se continuar jogando essa bolinha, cai para a Série B
ler mais

Neto

Neto, comentarista da Band

Todos eles entram pressionados, encaram esse jogo como uma decisão, mesmo que eles não reconheçam. E aí, quando entra com esse tipo de pressão, tem um pouco mais de dificuldade para arriscar uma jogada, tentar uma jogada individual. O Avaí estava mais solto
ler mais

Caio

Caio, comentarista da Globo

Pedro Vilela/Getty Images Pedro Vilela/Getty Images

Foi bem

  • Hernanes (São Paulo)

    Já são cinco gols em cinco jogos desde a volta ao São Paulo. Mais do que isso, é quem comanda e dá ritmo para o meio-campo.

    Imagem: Dvulgação/São Paulo FC
  • Mendoza (Bahia)

    Refugo do Corinthians está brilhando em novo time: fez dois gols nos 3 a 0 sobre o Vasco e soma 4 gols nas últimas 3 partidas.

    Imagem: Will Vieira/Raw Image/Estadão Conteúdo
  • Vinicius Jr. (Flamengo)

    Primeiro grande jogo da revelação rubro-negra entre os profissionais. Fez dois gols e ganhou espaço no elenco do Flamengo.

    Imagem: Dhavid Normando/Futura Press/Estadão Conteúdo
  • Emerson Sheik (Ponte)

    Mais um que marcou duas vezes. O primeiro foi no começo. O segundo, quando o empate com o Bota era dado como certo.

    Imagem: Divulgação

Foi mal

  • Cueva (São Paulo)

    Está longe do jogador que encantou no início do ano. Participou pouco do ataque e recompôs mal a defesa.

    Imagem: Eduardo Valente/Framephoto/Estadão Conteúdo
  • André (Sport)

    Perdeu três chances claras de gol nos 30 primeiros minutos, que custaram caro na derrota por 2 a 0 para o Cruzeiro.

    Imagem: JC Imagem
  • Rodriguinho (Corinthians)

    Não mostrou o mesmo desempenho dos jogos anteriores: errou muitos passes na intermediária.

    Imagem: Adalberto Marques/Dia Esportivo/Estadão Conteúdo
  • Milton Mendes (Vasco)

    Escalou três zagueiros contra o Bahia e tudo deu errado. O time levou um gol para cada beque escalado.

    Imagem: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

Bumerangue da rodada

O que é mais difícil: perder gol como Sassá ou dançar como Vinicius Júnior?

Arte/UOL
Daniel Vorley/AGIF Daniel Vorley/AGIF

#Eu sou foda

Emerson Sheik é um jogador daqueles que não se acha mais no futebol brasileiro. Quer a prova? Neste domingo, após marcar o gol da vitória da Ponte Preta sobre o Botafogo, ele virou para certo personagem da partida e disse: “Eu sou foda”. Seria normal se fosse para um companheiro de time. Seria uma provocação se fosse para um rival, mas daquelas que você até entende. Mas foi incompreensível quando ele fez isso para o árbitro da partida, Dewson de Freitas. O mais engraçado é que ninguém foi punido: “Eu fiz uma brincadeira com ele... ‘Eu sou foda’... Mas no sentido de zoação mesmo”, explicou. “Ele trabalha em jogo meu há muito tempo. A gente cria uma intimidade”. Então tá...

#Vinicius Júnior sem limites

Pisco Del Gaiso/Folhapress Pisco Del Gaiso/Folhapress

#Igual a Romário

Os mais velhos certamente vão se lembrar do gol de Romário contra o Uruguai, aquele em 1994 que garantiu a classificação do Brasil para a Copa do Mundo dos EUA. Em pleno Maracanã, com a seleção correndo risco de não ir ao Mundial, ele deu um drible de corpo no goleiro rival e marcou um dos gols mais icônicos de sua carreira. Neste fim de semana, muita gente viu o gol de Vinícius Junior contra o Atlético-GO e lembrou daquele de Romário. Você achou parecido?

Reginaldo Pimenta/Raw Image/Estadão Conteúdo Reginaldo Pimenta/Raw Image/Estadão Conteúdo

#Queridinho na Espanha

Graças aos dois gols marcados na vitória do Flamengo, o atacante de 17 anos se tornou, definitivamente um queridinho da imprensa da Espanha - lembrando que ele já foi vendido ao Real Madrid. O diário "As" disse que seu gol mostrou "grande inteligência para explorar os espaços, além de uma arrancada descomunal". Já o "Marca" disse que ele "segue superando etapas. Depois de ser titular pela primeira vez, logo marcou dois gols em uma vitória do Flamengo".

Heuler Andrey/Dia Esportivo/Estadão Conteúdo Heuler Andrey/Dia Esportivo/Estadão Conteúdo

#Nilmar volta após 15 meses

Lembra de Nilmar? Ele está de volta ao futebol brasileiro. Após passar 15 meses afastado dos campos, por problemas com seu antigo clube, o Al Nasr, dos Emirados Árabes, ele estreou neste domingo pelo Santos. Foram 27 minutos em campo (e pouca participação nas ações da equipe) no 0 a 0 contra o Coritiba. Infelizmente, ele só recebeu a chance por uma lesão de um companheiro: Ricardo Oliveira sofreu uma séria lesão nas costas no sábado e Nilmar foi relacionado às pressas para o jogo.

AP Photo/Kamil Zihnioglu AP Photo/Kamil Zihnioglu

Bolinha na tela do Brasileirão? É gol de Neymar

No último domingo, as frequentes menções à estreia de Neymar pelo PSG durante a rodada do Campeonato Brasileiro, desde o primeiro chute do craque até o seu primeiro gol pelo novo clube, já tinham irritaram muitos telespectadores da Globo. Neste domingo, a história continuou: subiu a bolinha de gol, tradicional para os gols do Brasileirão, para os gols do PSG contra o Toulousse.

"Gradel. O Gradel não joga em nenhum time brasileiro, joga no Toulouse, da França. Está jogando no Parque dos Príncipes contra o Paris Saint-Germain, primeiro jogo do Paris com o Neymar em casa e o Toulouse faz 1 a 0", anunciou Cleber Machado, que comandava o jogo Avaí x São Paulo, pelo Brasileirão.

"E Neymar faz o primeiro gol dele com a camisa do Paris Saint-Germain. O Toulouse abriu o placar e agora Neymar faz o gol do Paris Saint-Germain, está 1 a 1 o jogo", avisou Cleber. O PSG ainda viraria, 2 a 1, antes do intervalo da partida pelo Campeonato Francês, com Rabiot.

Vale lembrar que o Grupo Globo é detentor dos direitos de transmissão do Campeonato Francês, tanto na TV fechada, com o SporTV, quanto na aberta. A liga espanhola, por onde Neymar atuava com a camisa do Barcelona, pertence à ESPN Brasil. O FOX Sports também a mostra via acordo de sublicenciamento com o detentor.

Internautas ironizam

Parece que os jogos do PSG agora fazem parte do Campeonato Brasileiro. Todo jogo tem bolinha na tela da Globo e tudo

@YtaloMontenegro

Nesse jogo do Francês vai sair tanto gol que a bolinha da Globo vai ficar frenética. Quando Neymar jogava na Espanha não tinha isso. Estranho

@igorvalois

Curtiu? Compartilhe.

Topo